CELEBRAR

Experiência de Deus –

Texto extraído de: BROSHUIS, Inês; SOUZA, Neuza Silveira de. Viver sob a luz de Cristo. Catequese com adultos. São Paulo, Paulinas 2013, pp. 219-222.

Como admiramos, descobrimos as maravilhas de Deus? O ser humano é um grande sinal de Deus, não só pela maravilha do seu corpo e do seu espírito, mas porque foi criado à imagem e semelhança de Deus (Gn 1,27).

A pessoa humana revela Deus de modo especial. É através do amor humano que vamos entender algo do amor de Deus. Uma profunda experiência de amor entre as pessoas é uma experiência de Deus. “Onde há amor e caridade, Deus aí está”, cantamos tantas vezes. E como é verdade! Mas muitas vezes não nos lembramos disso. Uma grande amizade é uma verdadeira experiência de Deus. O amor do casal também. Uma criança que não recebe amor e carinho dos pais não entenderá o amor de Deus. Precisamos experimentar o amor para saber o que é. Para experimentar o amor de Deus, necessitamos sentir o amor dos outros. Os pais não têm ideia do quanto eles são sinais de um Deus Amor para os seus filhos. Cada um de nós é sinal de Deus para o outro. Será que os outros se encontram com Deus através de nós?

Deus se faz experimentar pelos sinais dos tempos

Dizemos que Deus se manifesta nos sinais dos tempos. Que são esses sinais? São as tendências e movimentos da época. Mostram a mão de Deus, sua presença, seus apelos, suas advertências. Sinais dos tempos, hoje, são, entre outros: a luta pela justiça, a promoção dos direitos humanos, a emancipação da mulher, mas também a liberdade sexual, a supervalorização do corpo, a busca desenfreada do prazer etc. Nem sempre é fácil interpretar os sinais dos tempos, se são sinais de Deus ou não. Devemos ficar atentos e saber discernir. Deus pode falar através de pessoas que têm uma visão “profética” dos acontecimentos, através da Igreja, mas também através de pessoas iletradas.

Deus se revela através dos acontecimentos

Deus se revela na vida de cada um, ou de grupos e comunidades, através de acontecimentos: o nascimento de um filho, a morte de um ente querido, a luta para conseguir melhores condições de vida para o povo, e assim por diante. Na dor e na alegria, na luta e na renúncia, na convivência, sentimos, muitas vezes de modo especial, a presença de Deus. Ele está aí!

Para discernir a presença de Deus nos acontecimentos, precisamos ter uma atitude crítica. Não podemos dizer, simplesmente, diante de tudo que acontece: “Deus quer”. Muitas vezes, os acontecimentos não são da vontade de Deus, mas são consequências dos nossos pecados, do nosso orgulho, do nosso egoísmo. Mesmo assim, Deus pode se manifestar através desses acontecimentos. Ele alerta, apela à conversão, à mudança de atitudes, se faz presente pela solidariedade das pessoas que procuram aliviar o sofrimento…

O sofrimento no mundo é uma das maiores dificuldades que se coloca a respeito do amor de Deus. Deus não causa o sofrimento, ele não intervém nas leis da natureza, mas ele está ao nosso lado para nos ajudar a suportar o sofrimento. Ele sofre conosco, nos dá sua força para encontrar um novo sentido na vida. Quantas pessoas podem testemunhar isso!

A Bíblia, um sinal de Deus para nós

O povo da Bíblia fez também sua experiência de Deus. Experimentou Deus nas forças da natureza, na beleza da criação. Experimentou Deus no próprio ser humano, imagem de Deus. Experimentou-o especialmente nos acontecimentos. Sua história é de libertação, de conquistas e guerras. Via a mão de Deus nisso. Teve suas leis como decretos vindos de Deus para orientação do seu povo. Escreveu tais experiências. Por isso, podemos dizer que a Bíblia é o livro que relata as experiências de Deus com aquele povo. Tinha os mesmos sinais como nós: natureza, pessoas, acontecimentos. Mas soube ver em tudo isso a mão de Deus e escreveu essa descoberta em linguagem poética, em narrativas profundas, em orações e salmos…

Jesus – o grande sinal de Deus

Quando Jesus entrou na história desse povo, ele atraiu a muitos por seu modo de ser, de falar, de agir. Aqueles que o seguiam exclamavam: “Este é, realmente, o Enviado de Deus, seu grande Profeta, seu Filho”. Eles fizeram uma experiência de Deus na pessoa de Jesus, o ressuscitado. Por isso podemos dizer que Jesus é o sinal de Deus por excelência. Cada ser humano é uma imagem de Deus, mas, com suas imperfeições e pecados, obscurece, muitas vezes, essa imagem. Porém, Jesus é a imagem perfeita de Deus, seu Pai. Os primeiros cristãos fizeram sua experiência de Deus em Jesus. Quando, mais tarde, foram escrever os Evangelhos, eles expressaram essa experiência.

A comunidade – sinal de Jesus

Jesus, depois da sua ressurreição, deixou um sinal: a comunidade dos seus seguidores. Não estando mais fisicamente entre nós, não sendo mais um sinal visível, a comunidade deve agora tornar Jesus visível através da sua vida de união, de amor, de solidariedade, de amor aos marginalizados, dos que não têm voz nem vez. É esta a missão da Igreja: ser sinal sensível de Jesus, hoje.

A Liturgia é a grande experiência de Deus através de sinais e gestos

Toda Liturgia deve ser uma profunda experiência de Deus em Cristo. A Liturgia é o momento adequado para experimentar Deus e a ação salvadora de Cristo. É um profundo encontro com Cristo que se realiza em cada Eucaristia, em cada sacramento.