“Não podemos deixar de falar sobre o que vimos e ouvimos” (At 4,20). Mais do que em outros tempos, a fé em Cristo Jesus precisa ser testemunhada e anunciada com destemor e convicção. As pessoas esperam esta atitude de fé para poderem aderir a uma realidade que foi ofuscada pela mudança de época que atravessamos e pela excessiva preocupação de buscar a realização do ser humano longe de qualquer horizonte que possa cercear sua liberdade.

Sejamos explícitos em anunciar o acontecimento atual de graça que nos alcança por meio do anúncio da pessoa, da missão e da salvação em Jesus Cristo. Que fique claro que somos herdeiros dessa promessa de graça e temos a mesma atitude de fé daqueles que a escutaram pela primeira vez.

Os textos deste número foram transcritos do livro: Núcleo de Catequese Paulinas. Querigma. A força do anúncio. São Paulo. Paulinas, 2014.

Lembramos que o querigma – primeiro anúncio – é o ponto de partida da catequese catecumenal, e, como recorda o Documento de Aparecida, n. 289: “Sentimos a urgência de desenvolver em nossas comunidades um processo de iniciação na vida cristã que comece pelo querigma e que, guiado pela Palavra de Deus, conduza a um encontro pessoal, cada vez maior, com Jesus Cristo”.