Celebração com exposição do Santíssimo Sacramento

(O grupo se reunirá na igreja diante do Santíssimo. Se o pároco ou o coordenador da comunidade autorizar, poder-se-á expor a âmbula no altar, previamente forrado com corporal, e acender as velas. Recomenda-se ter a colaboração de um ministro extraordinário da Eucaristia.)

(Todos de pé.)

Animador: + Em Nome do Pai do Filho e do Espírito Santo.[1]

Todos: Amém!

Animador: Louvores e graças se deem a todo momento! (3x)

Todos: Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento. (3x)

Animador: Caríssimos irmãos e irmãs, sejam todos bem-vindos.

Jesus, presente no mistério eucarístico, nos acolhe num grande gesto de amor. Ele é o Deus da ternura. É o Deus da comunidade. Comunidade da trindade, onde não há sinais de contradição e que é o modelo para nós, para toda a humanidade.

Queremos fazer a experiência da sua ternura. Queremos fazer a experiência de comunidade, queremos ser bons e acolhedores.

Todos: A exemplo dos homens e mulheres da história bíblica, queremos ter atitudes acolhedoras: acolher o dom da fé, acolher a Palavra bendita, acolher o irmão necessitado, acolher o Cristo em nossas vidas.

Leitor 1: Recordamos Abraão, nosso pai na fé, e Sara sua esposa, que acolheram em sua tenda, perto do carvalho de Mambré, três peregrinos que se aproximavam: “Meu Senhor, se mereci teu favor, peço-te, não prossigas viagem sem parar junto de mim, teu servo” (Gn 18,3).

Todos: Rogamos a ti, Senhor, que renove em nossos corações a mesma atitude acolhedora de nosso pai Abraão. Abre, Senhor, nossos olhos para enxergarem nossas mentes para entendermos, nossos ouvidos para escutarmos, nossas mãos para doarmos e acolhermos os peregrinos da vida.

Leitor 2: É edificante perceber a prontidão e a disponibilidade de Abraão, que repousava à sombra de sua tenda, no maior calor do dia. Com tamanho desapego, renunciou ao seu repouso para acolher e servir o visitante.

Todos: Obrigado, Senhor, por tão grande exemplo de acolhimento feito por teu escolhido, nosso pai Abraão.

Ó Cristo Rei, presente na Eucaristia, diante de ti, Senhor, renovamos o compromisso de renunciar ao nosso egoísmo e ao nosso comodismo para melhor servir-te na pessoa do irmão que vem.

(Todos de joelhos.)

Leitor 2: Silêncio para interiorização.

Leitor: Mateus 14,14-21.

“Ao sair do barco, Jesus viu uma grande multidão. Encheu-se de compaixão por eles e curou os que estavam doentes. Ao entardecer, os discípulos aproximaram-se dele e disseram: ‘Este lugar é deserto e a hora já está adiantada. Despede as multidões, para que possam ir aos povoados comprar comida!’ Jesus porém lhes disse: ‘Eles não precisam ir embora. Vós mesmos dai-lhes de comer!’ Os discípulos responderam: ‘Só temos aqui cinco pães e dois peixes’. Ele disse: ‘Trazei-os aqui’. E mandou que as multidões se sentassem na relva. Então, tomou os cinco pães e os dois peixes, ergueu os olhos para o céu e pronunciou a bênção, partiu os pães e os deu aos discípulos; e os discípulos os distribuíram às multidões. Todos comeram e ficaram saciados, e dos pedaços que sobraram recolheram ainda doze cestos cheios. Os que comeram foram mais ou menos cinco mil homens, sem contar mulheres e crianças.”

Palavra da Salvação!

Todos: Glória a vós, Senhor.

(Todos de joelhos.)

Animador: Silêncio para interiorização.

•          O que diz o texto?(Reler o texto em voz baixa)

•          O que diz o texto para mim?(Tirar uma mensagem)

•          Como aplicá-lo em minha vida?(Compromisso concreto)

(Após uma pausa, pode haver uma breve exortação.)

(Todos sentados.)

Animador: Caros irmãos e irmãs, neste tempo de experiência da ternura de Deus, queremos voltar o olhar para Abraão, nosso antepassado na fé, que sabiamente soube responder a Deus com sua própria vida.

Todos: Na mesma fidelidade de nossos antepassados, queremos ser generosos em nossas respostas. Queremos trilhar o caminho da fé, do direito e da justiça, da solidariedade e do amor que eles testemunharam.

Leitor 1: O Senhor disse a Abrão: “Sai da tua terra, do meio dos teus parentes, da casa do teu pai, e vai para a terra que eu vou te mostrar. Farei de ti uma grande nação e te abençoarei: e engrandecerei o teu nome, de modo que ele se torne uma bênção” (Gn 12,1-2).

Animador: Abrão, nosso pai na fé, respondeu ao chamado de Deus com fidedigna prontidão. Ele respondeu na prática, deixando sua pátria e partindo para uma terra desconhecida. A terra da promessa.

Todos: Senhor, em muitas ocasiões, somos demasiadamente apegados às circunstâncias locais que nos favorecem e nos deixam acomodados. Falta-nos o desejo e a coragem do despojamento pela causa do Reino. Sê-nos favorável e, pela Eucaristia que recebemos, aumenta em nós a atitude do despojamento e da fé.

(Todos de pé.)

Animador: Lembrando a proposta de Jesus, que é vida plena para todos, cantemos:

“Eu vim para que todos tenham vida” (n. 254, DR – Pe. José Weber, svd – CD 11781-1 – C. F. Memória Histórica – Paulinas-COMEP)

Eu vim para que todos tenham vida / Que todos tenham vida plenamente.

1. Reconstrói a tua vida / Em comunhão com teu Senhor / Reconstrói a tua vida /
Em comunhão com teu irmão / Onde está o teu irmão / Eu estou presente nele.

2. Quem comer o Pão da vida / Viverá eternamente / Tenho pena deste povo /
Que não tem o que comer / Onde está um irmão com fome / Eu estou com fome nele.

3. Eu passei fazendo o bem / Eu curei todos os males / Hoje és minha presença /
Junto a todo sofredor / Onde sofre o teu irmão / Eu estou sofrendo nele.

(Todos de pé.)

Animador: Caros irmãos e irmãs, na alegria de estarmos diante de nosso Senhor, presente no mistério da Eucaristia, continuemos contemplando e adorando aquele que é o sentido de nossas vidas. Neste quarto e último momento de nossa adoração, somos convidados a selar com o Senhor a renovação dos compromissos que brotam da celebração dos seus mistérios, interiorizados na sua gloriosa presença de amor.

Renovamos, Senhor, o compromisso de sermos reenviados em missão com a tua Igreja.

(Todos sentados.)

Todos: Envia-nos, Senhor, para que, assim como o cego Bartimeu, recuperado e com nova visão, possamos te seguir pelo caminho, louvando e agradecendo (Mc 10,52).

Animador: Em dois coros, continuemos louvando e agradecendo.

Lado A: Senhor, vós que tudo criastes com vosso poder e tudo conservais com a vossa providência, fazei-nos zelosos para com a natureza.

Lado B: Ajudai-nos a descobrir a vossa presença em todas as criaturas e a lutar para que a vida seja preservada.

Lado A: Vós que, pelo sangue derramado na cruz, selastes conosco uma nova e eterna aliança, dê-nos viver os compromissos do nosso Batismo.

Lado B: Fazei que, obedecendo sempre aos vossos mandamentos, permaneçamos fiéis a esta mesma aliança, especialmente com os pobres.

Lado A: Vós que, pregado na cruz, deixastes correr de vosso lado aberto sangue e água.

Lado B: Por meio desta fonte de vida, lavai-nos de todo o pecado e dai-nos a alegria de caminharmos na justiça até a cidade de Deus.

Bênção do Santíssimo

Animador: Cantemos.

(Todos de joelhos.)

Animador:Graças e louvores se deem a todo o momento! (3x)

Todos:Ao Santíssimo e Diviníssimo Sacramento. (3x)

Tão sublime sacramento, adoremos neste altar. / Pois o Antigo Testamento deu ao Novo seu lugar / Venha a fé por suplemento, os sentidos completar.

Ao Eterno Pai cantemos, e a Jesus o Salvador. / Ao Espírito exaltemos na Trindade eterno amor. / Ao Deus Uno e Trino demos a alegria do louvor.

Amém… Amém!

Ministro: Do Céu lhes destes o pão.

Todos: Que contém todo sabor.

Oremos (1): Senhor Jesus Cristo, neste admirável sacramento nos deixastes o memorial de vossa Páscoa. Dai-nos venerar com tão grande amor o mistério do vosso corpo e de vosso sangue, e possamos colher continuamente os frutos da vossa redenção. Vós que viveis com o Pai na unidade do Espírito Santo!

Animador: Louvado seja nosso Senhor Jesus Cristo!

Todos: Para sempre seja louvado!

[1]      Celebração adaptada de: “Tempo Comum”. In: SANTOS, Anízio Ferreira. Horas santas litúrgicas. São Paulo, Paulinas, 2014. pp. 147-174.