Como celebrar o Advento?

2-3

Alguns aspectos da piedade popular, bem direcionados por uma espiritualidade pascal, ajudam a vivenciar este tempo litúrgico:

– Muito antes de a liturgia viver o Natal, a sociedade já se antecipa com decorações natalinas que pouco ou nada têm a ver com a liturgia de Natal. De caráter universal, fora da cultura de onde surgiram, tornam-se pura ornamentação: neve, Papai Noel, pinheiro… Não deixemos que o interior de nossas igrejas seja invadido por estes enfeites que prejudicam a singeleza do Tempo do Advento e antecipam a alegria do Natal! Evitemos enfeitar a igreja com motivos natalinos durante o Advento!

– A coroa do Advento manifesta a chegada do Salvador com o belo simbolismo da vitória da luz sobre as trevas. Deve-se tomar cuidado ao incluir este rito dentro da celebração eucarística, já que ele não faz parte da liturgia oficial.

– As novenas de Natal precisam ser menos reflexivas e mais orantes, para que conduzam as pessoas à participação na salvação por meio da liturgia.

– O presépio não poderá dispensar o aspecto da manifestação do Senhor em conexão com o Mistério pascal. Abstraindo-se este sentido, o mesmo se torna apenas um objeto de piedosa devoção ligada ao nascimento de Cristo.

– É importante lembrar à comunidade a Coleta para a Evangelização a ser realizada no 3o Domingo do Advento, que “tem a finalidade de angariar fundos que garantam a continuidade da obra evangelizadora e efetivar a manutenção da CNBB nacional e regional. Somente através do trabalho evangelizador poderemos levar as pessoas a celebrar conscientemente o mistério do Natal” (D. Dimas Lara Barbosa, secretário-geral da CNBB).